Imprensa
Grupo acusado de desvio de R$ 300 milhões faz gestão de saúde no Rio

Organização contratada para atuar no Programa Saúde da Família é investigada no Paraná

25/5/2010 | Jornal O Dia



A Organização Social contratada pela Prefeitura do Rio para gerenciar profissionais e executar o Programa Saúde da Família nas regiões de Tijuca, Jacarepaguá, Barra da Tijuca e Irajá está sendo acusada, no Paraná, de desvio de R$ 300 milhões dos cofres públicos.

Hoje, o vereador Paulo Pinheiro pedirá que o Tribunal de Contas analise os contratos do Centro de Apoio a Profissionais (Ciap) e de outras três Organizações Sociais com o município do Rio, como adiantou ontem o 'Informe do DIA

"Pedi ao prefeito, Eduardo Paes, e ao secretário municipal de Saúde (Hans Dohmann) que os contratos sejam rescindidos ou revistos. Ikmbém pedi que a escolha das Organizações Sociais seja mais rigorosa", disse Pinheiro, que quer a instalação de CPI.

Segundo investigação conjunta da Controladoria Geral da União, Ministério Público, Polícia Federal e Receita Federal, o Ciap, que recebeu R$ 1 bilhão em cinco anos, fazia parcerias com as prefeituras e desviava pelo menos 30% do valor. O esquema teria ramificações no Paraná, São Paulo, Goiás, Maranhão e no Pará.

Ontem, o município do Rio afirmou que o contrato com a Ciap está sendo reavaliado pela Procuradoria e Controladoria Geral do município. Os demais poderão ser reavaliados caso sejam constatados problemas nos serviços.



   
 
 
Câmara Municipal do Rio de Janeiro - Praça Floriano s/n, Gabinete 1002 - Telefones: (21) 3814-2920 / 3814-2463